So Fool!



Quando somos jovens e inocentes, mesmo que pela metade. Achamos que temos o mundo nas costas e que temos, devemos obrigatoriamente carregá-lo. Que essa foi a missão pela qual nossos pais, parentes, amigos e pessoas que contém o mesmo pensamento nos desafiou. Ou até mesmo Deus, por que não? Pensamos no quanto somos capazes, do quanto somos "melhores" do que os outros. Do quanto somos fortes e indestrutíveis. Inteligentes, donos da verdade, do próprio caminho, das próprias escolhas errantes. Somos incorruptíveis. Carregar o mundo com a cruz e chegar até o calvário, não como em forma de sacrifício, mas sim de conquista. Venci o mundo! O que é vencer o mundo? O que é ter que se sentir obrigado a carregá-lo nas costas para provar aos demais do quanto és capaz? Como é fugir da verdade, encarar a realidade e vestir uma máscara para que o espetáculo siga em frente? Existe tanta insegurança assim para achar que liderar é se colocar em um pedestal para provar aos olhos alheios do quanto tu não és inseguro? Do quanto sente medo em fraquejar? Do quanto ver a queda alheia lhe alivia pelo simples fato de você não ter sido o primeiro para justificar sua falta. Do quanto é necessário "desligar" as pessoas sobre o seu comando para que tenhas um momento de paz falsa lhe dizendo o quanto você é bom, e nada irá sucumbir teu sonhos ilusórios.



- Ah! Mas essa menina adora tacar areia nos sonhos alheios... 
- Ah! Mas como esse povo adora se fingir de cego e corajoso!

A juventude permanece até, mas a inocência se perde por completo. A arrogância, a soberba lhe sobem à cabeça e antes, quando existia uma semente de inteligência. Hoje só permanece uma sombra da liberdade que aquele ser poderia carregar, escondida, por detrás da ignorância que devorou seus neurônios saudáveis.
Vou crescer! Vou conquistar! Vou ser amado por muitos! Vou provar! Vou esfregar na cara da sociedade e isso não me permite ser humano. Não posso deixar que o modo "emoções" do meu cérebro seja ativado. Não posso adoecer, me entorpecer, deixar seguir, me entregar por um momento... Porque preciso ser de ferro. Vão roubar meus sonhos... Mas... Que sonhos? Os que você sonhou um dia de verdade ou os que sonharam para você?
Acorda! Você não precisa viver preso nessa gaiola de ouro, aprendendo sozinho como enganar a si mesmo todos os dias de sua vida. Acorda! Porque você é livre para viver... E viver já é uma vitória. Só você não percebeu ainda o valor de um profundo e breve suspiro. Aquele que transmite alívio para a alma. Aquele que te mostra a verdade, de que para ser feliz e vencedor não é preciso tanto. Basta olhar as coisas ao seu redor e aprender tirar proveito delas. Você não é obrigado a carregar o mundo nas costas, Jesus já fez isso em seu lugar para que hoje você desfrute da verdadeira liberdade. A de não ser escravo dessa sociedade. Vá sim... Siga em frente... Vá longe, viva teus sonhos com dignidade e não os dos outros. Voe alto, mas não para provar sua capacidade (disso eu tenho certeza que muitos já sabem), mas sim para aproveitar a vista de cima, dessa nossa vida tão breve, obscura, inquietante e maravilhosa!


Você é capaz... Sem precisar provar, pisar, ou destruir a si mesmo por causa da corrupção que o mundo implantou em seu coração.

0 comentários