Inefável maçã


"Que teu sangue não manche a pureza que trazes o branco da neve ao cair do céu. Congelando-te para manter intacto aquilo que jamais deveria ter mudado. E ao se lançar entre a floresta negra, observe o orvalho da manhã que cai, banhando as árvores que estão secas, sem frutos... E quando a luz do sol não se fizer presente e tudo virar escuridão, corra em direção ao castelo que há morada em seu coração, até que renasça o sol e as geleiras se derretam, trazendo-te de volta tudo o que perdeu, e te transformando em uma inefável maçã."


○ Trecho final do livro Desolada por Agatha de Assis

0 comentários