Magia além das palavras


Hoje, passei a minha folga toda trabalhando numa revisão que recebi de uma editora. Meus dias tem sido mais que corridos, absolutamente não tem sobrado tempo algum para mim. Então parei para pensar, o que será do meu livro (o desfecho de Desolada a qual estou trabalhando aos poucos)? Tenho tantas ideias rabiscadas, mas não tenho tempo para escrevê-lo.
Até que no final da noite, ao enviar o trabalho completo; resolvo relaxar um pouco a procura de algo pela Netflix. E eis que encontro uma espécie de filme biográfico a respeito da vida de uma das mais influentes escritoras do mundo, a autora de toda saga de Harry Potter.  
Assistindo este filme "A magia além das palavras" baseado na vida dessa escritora mágica  J.K. Rowling , percebi o quanto temos que ser insistentes neste meio que parece impossível de alcançar, mas torna-se possível com muita fé e perseverança.


Ela não escreveu o livro de um dia para o outro como a sociedade tem imposto indiretamente isso para "nós" autores. Como se a quantidade fosse melhor do que a qualidade. Ela também não teve ideias e ideias, sofreu várias paradas na sua escrita, vários bloqueios.

Ela demorou uma "vida" para conceber a ideia de um livro que num país desenvolvido, mesmo com suas dificuldades, não demora tanto para publicá-lo. 

Ela recebeu inúmeros NÃOS! Mas ela não desistiu. Não pelo dinheiro, ou para ser Best Seller como muitos hoje visam, mas sim porque amava escrever.
Ela possuía um emprego, uma vida, cheia de dificuldades... Ela, por mais que desejasse viver só para os livros, precisava cair na realidade e trabalhar para se sustentar.
Infelizmente ou felizmente somos (nós,autores) pessoas comuns como todos, possuímos vidas, adversidades, responsabilidades que muitas vezes nos atrasam o sonho, mas jamais o paralisa. Porque quem realmente tem fé, nunca desiste. Podem haver milhões de criticas negativas, o que importa é o que você faz e como se sente. E a quem, por minimo de público possível seja, você toque e leve conhecimento e não um livro de histórias vazias movida pelo marketing.
Ela duvidou. Teve depressão. Pensou em desistir, tinha medos constantes da desaprovação alheia, porém seguiu em frente e alcançou por perseverança e amor. Puro amor que nasceu desde criança.


Isso é um tapa na cara daqueles que duvidam do talento alheio só porque os livros não nascem em datas determinadas. É um tapa na cara daqueles que acham que somos robôs programados para escrever sem errar nenhuma vez, mesmo que seja seu primeiro romance e você não tenha nenhuma experiência direta com a escrita. 

É um tapa na face daqueles que pensam que perdemos a capacidade do nosso talento só porque nunca publicamos ou só recebemos "nãos" até agora.

É um tapa para quem pensa que não dá para viver de literatura (se um dia, não desistindo, você alcançar o lugar desejado).
Ao terminar de assistir, pensei comigo, porque me desespero? Caso alguma vez pensei em desistir? Mesmo sabendo do quanto o nosso país não chega aos pés dos outros desenvolvidos, em termos de educação, saúde, qualidade de vida e muito mais.
Não, eu sou tão capaz que produzi mais de cinco livros, dentre eles os que consegui publicar em dois anos. Então sociedade que visa quantidade, eu prefiro escrever na calmaria das minhas manhãs, antes de me preparar para o meu outro trabalho (da qual também sonho) e deixar as coisas rolar em seu devido tempo, com sua real qualidade. A melhor que eu puder dar. Pois, não sacrificarei nenhum dos meus sonhos só para provar "o quão" sou capaz, quando somente eu devo ter consciência disso agora. Vou atrás de todos, e respeitar o tempo de todos.

E para você que fica se perguntando se vai conseguir, eu deixo um conselho: não desista; não importa quantos tombos tomou, quantos NÃOS levou, siga em frente e não pare.

0 comentários