Inconsistências



A vida nos cerca com mistérios "indecodificáveis". Lá fora, ouvimos o som do novo amanhã, ruídos difíceis de compreender, lamúria e choros de toda dor que ficou ao estabelecer o motivo real de deixar de viver.
E, aqui dentro, permanece o silêncio, que é congelante, causando rachaduras nas faces que nunca puderam fazer nada para impedir o medo que nos enfraqueceu. O esforço vivido a cada dia, partiu em direção ao nada, muito além de nossas visões. 
O horizonte passou a ser a linha que defini o fim do mundo, e quando olhamos para ele, sentimos como se toda a nossa vida passasse diante de nossos olhos, como um presságio de nosso tempo curto. Tempo que a cada tilintar do vazio se estilhaça. Tempo que a cada tic tac do relógio nos despedaça. Tempo que não procede mais ao amor, e sim ao sofrimento. Pela razão de termos escolhido o caminho mais fácil.
Inconsistências nos designam ao recomeço, ao novo amanhã renovado e indestrutível, pelo menos na esperança que nossos corações carregam. O que há de mais valioso afinal? O que vale tanto a pena, além do nosso olhar, do nosso respirar e amar? 
Mas, na confusão das palavras, os verbos se manifestam na procura desesperada por respostas. A cada conjugar, uma descoberta, um novo jeito de acreditar que podemos ser e ter, da forma que sempre sonhamos, sem fazer ninguém sangrar.



2 comentários

  1. ... Admirável, menina... tu és admirável...muitobomlegaltudoespecial...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obg Fabrício, sinto sua falta nas redes sociais. Apareça. :)

      Excluir