Indecifrável




Acredito que se eu pudesse me descrever por inteira, eu seria uma forma de composição teatral da qual nem Shakespeare se alegraria, pois ele não estaria errado. Pois até suas lindas obras tinham fins trágicos ou mágicos de forma que quando acabássemos de ler aquilo, ainda permaneceriam em nossas mentes ou corações...

Ilimitadamente...
É assim que é a minha vida, ilimitada. Incapaz de ser descrita.
Se eu conseguisse me comparar a algo, seria ao oceano; obscuro, inquietante, às vezes calmo a receber as brisas que vem de longe, ora muito violento como se lutasse com a tempestade que se desvai, caindo sobre ele.
Sou indecifrável, determinada e inquietante...
Odeio mesmice, às vezes me agrada repetir cenas como me sentar ao sofá, com a minha xícara de café, lendo um bom livro. E talvez, como todo ser humano, repetiria tudo aquilo que fosse muito bom de ser revivido e só.

Sem me importar com o que muitos dizem!
Posso chamar isso de indiferença?
Pois não vão ser pessoas destrutíveis que me farão parar ou temer algo.
Minha vida, meus sonhos e minha fé estão acima de qualquer coisa!
Pois, esta sou eu...



0 comentários