12 junho, 2018

No mundo tereis aflições


Aceitar Jesus como seu único e suficiente Salvador, achando que a partir dali só terão flores em sua vida é um grande equivoco cometido por ti. É necessário ministrar sua vida para que você não caia na hora das tribulações. Pois, sabemos que aceitar é fácil, difícil será permanecer no caminho, quando descobrires que a vida continuará difícil. Deus prometeu o Reino dos Céus, nunca nos iludiu. O próprio Jesus teve que passar pelo deserto e morrer sem culpa alguma por nós. 
Ele também nos deixou claro isso quando disse: 

"... no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo"João 16:33

Se somos salvos hoje, já deveria ser o motivo suficiente para sempre sermos gratos; não acham? Paulo disse que morrer é lucro, não porque a morte é boa, mas porque pela Graça e não mais pela Lei somos salvos, passando da morte para a vida eterna.
"Sua Graça me basta!"… Assim falava Paulo preso, açoitado, reduzido a nada pelos homens, enquanto Deus lapidava seu espírito a nível inconcebível através da dor.

"E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar.
Acerca do qual três vezes orei ao Senhor para que se desviasse de mim.
E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo.
Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte."

2 Coríntios 12:7-10

Isso mesmo, é na dor que aprendemos sempre algo, é na dor que também muitas vezes as coisas são criadas; como o próprio Deus refere-se a dor do parto semelhante a dor do nascimento de algo, metaforicamente falando.
Em Eclesiastes 7:1 vimos Salomão dizer que "é melhor ir à casa do luto, do que à casa onde há banquete"; porque isso? Parece mórbido né? É simples, porque infelizmente nesta vida, quando só há risos e alegrias nada mais nos importa. Só é na dor que sentimos é que paramos para refletir, questionar, aprender, buscar a face de Deus, porque é na dor, infelizmente que nosso coração se encontra mais penetrável para a verdade entrar. Nunca imaginaram que quando estamos contentes, quase nunca paramos para refletir ou questionar? Mas é claro, quem questiona o que é bom? Somente na hora da luta, é que iremos reclamar aos pés de Jesus e talvez com muita fé e esperança em encontrar alguma resposta, buscar ler mais a Sua palavra, ver mais o que Deus tem a nos dizer.
A bíblia tá lá, disponível sempre para você! Na alegria e na tristeza, não é Deus que estipulou que só quando haver lutas é que você irá procura-lo. Deus não tem nada a ver com isso. Isso, nada mais é do que da nossa natureza. Somos autossuficientes demais quando aparentemente nada nos falta, somos egocêntricos demais para ir em busca de algo que no momento, na nossa cabeça, não precisamos. Somos nós os culpados em não buscar sabedoria antes da dor.
Em Provérbios, o mesmo autor de Eclesiastes, nos alerta através do Espirito de Deus a buscar sabedoria enquanto há tempo. A lançar nosso pão nas águas enquanto ainda somos jovens.
Existe uma maneira de aprender sem necessariamente estar sempre sofrendo? Nossa, e como! O livro de Provérbios todo, por exemplo, nos atenta para isso, são inúmeros conselhos de Deus tentando nos guardar do mal e de nós mesmos, sem falar de toda a bíblia em si. Mas, como eu disse antes, só paramos para ler depois de ter sofrido um bocado, e si lemos.
E crescendo espiritualmente com Deus, aprendemos e ansiamos a buscar a cada dia mais a sua palavra e a nos fortalecer espiritualmente e emocionalmente muito antes de o problema nos atingir.  Não estou dizendo que ficaremos livres das atribulações, não, mas o fardo é mil vezes mais leve, como o próprio Jesus disse. Quando passamos a penetrar constantemente a palavra de Deus em nossos corações, aprendemos também a passar por obstáculos mais facilmente. Isso tudo falando somente de problemas comuns de nossas vidas, sem antes comentar sobre os espirituais, que a todo momento está acontecendo diante de nós, porém neste corpo carnal não podemos ver o que se passa.
Existe uma luta espiritual por cada um de nós muito grande, e isso você percebe justamente quando você sente que na sua vida tem passado mais deserto, do que na vida de muitos outros. Só Deus e o inimigo de nossas almas sabem o valor que cada uma delas tem, e eu aprendi uma coisa, quanto maior o deserto, maior é o valor de sua alma; não porque Deus valoriza mais a sua do que a de outras; mas porque você mesmo atribui valor a ela, através de boas ações, da obediência, de muitas coisas... Quando uma alma é bondosa e nela é guardado os mandamentos de Deus, seu valor é automaticamente elevado. Porém, Deus permite que as lutas continue para que você não saia dessa posição, para que, como nos versículos acima de Paulo, em 2 Coríntios você não venha se vangloriar e assim diminuir o valor da mesma.
Parece um pouco confuso, mas Deus age dessa forma mesmo:

"Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes;
E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são;
Para que nenhuma carne se glorie perante ele."


1 Coríntios 1:27-29


Busque mais o Seu Reino e a Sabedoria que vem do Céu, e Sua verdade irá te libertar dessa cegueira que o mundo vive desde que o mundo é mundo.


 "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará." - João 8:32

Que diminua eu, para que Tu cresças Senhor!



06 junho, 2018

Personalidade Existe



... e as pessoas estão a cada dia que passa se esquecendo disso.


O mundo te cobra o tempo todo o padrão de pessoa que você precisa ser para ter sucesso, cobra também sua aparência física dentro dos padrões estéticos, cobra inteligência dentro dos padrões de trabalhos considerados “promissores”. Mas tentam esconder de você que todo ser humano tem personalidades diferentes, que foram criados para serem diferentes; totalmente o contrário do que estão tornando a sociedade. Pessoas passam a viver suas vidas em torno disso. Competem com pessoas que não tem nada a ver com você. Pessoas que tentam ter uma vida e se encaixar nela sem considerar seus próprios desejos. Porque fulano de tal é assim, eu também tenho que ser. Não! Você não tem que ser nada. Você precisa entender que possui uma personalidade diferente de muitas pessoas e que ok, isso é normal. Tem que aprender a fazer sua vida ser única, com coisas que ama realmente fazer.
Do mesmo jeito é o seu corpo, seu corpo é único, não tem ninguém igual a você, ninguém exatamente com seus traços, cicatrizes, defeitos e até mesmo beleza. E isso te faz uma pessoa única. Somos tríplices: corpo, alma e espírito. E cada um deles e único e foi criado por Deus desse jeito para ser único. Afinal, temos um Criador, Criador não gosta de repetir criações não é mesmo?
E assim como todas as coisas, estamos em estado de mudanças constantes, mudanças físicas, pessoais, espirituais. Então, será completamente normal você observar seu corpo mudar, assim como sua mente adquirirá mais conhecimento, e sua alma mais paz de acordo com sua sabedoria diária e bagagem de vida. Não se anule por causa das mudanças! Não se anule porque alguém conhecido te parou na rua e disse o quanto você está mudado, muitas vezes com conotação negativa, porque o ser humano tem uma mania radical de olhar só o lado negativo das coisas, além de querer se auto afirmar na falsa impressão que eles mesmos criam em suas mentes de que você não tá bem. E muitas vezes, até você vai acreditar nisso. Vai dar ouvido para quem quer te ver para baixo e colocar uma venda nos olhos, impedindo-te de olhar para as suas maiores atribuições, para sua estrada percorrida, para as guerras vencidas, para o “eu” que você lapidou aí dentro. Lembre-se disso: Não permita que isso ocorra contigo!
Sei que parece tudo muito difícil quando você acorda e vai dormir com diversas informações bombardeando em sua cabeça, informações das redes sociais, informações da mídia, informações de pessoas e por aí vai… Sempre mostrando o que você precisa ser e fazer para alcançar tal objetivo de vida, para que você depois disso crie uma falsa imagem de sucesso e mantenha-se dentro do grupo social auto intitulado de “sucesso”!
"Sucesso é você ter um corpo perfeito. Sem nenhuma gordurinha, sem nenhuma estria, sem nenhuma marca de expressão, sem nenhum fio de cabelo branco mesmo que isso fuja inteiramente da sua realidade biológica… Sucesso é você ser famoso, reconhecido, ter um trabalho da “moda”, que esteja em evidência, que tenha tantos amigos mais do que a conta dos seus dedos dos pés e das mãos poderiam conseguir contar. Mesmo que sua personalidade e essência aponte para o outro lado.
Sucesso é você não ser “careta” em se ater a uma fé somente. A não ter a “mente aberta” e reconhecer coisas que você no fundo não concorda."
Ninguém percebeu aqui que ninguém é igual a ninguém? E que temos personalidades, aparência, forma de vida e crença diferentes uns dos outros?
Ninguém parou para analisar que talvez aquele esquisitão que não sai de casa possa ser feliz? Ninguém mesmo se pergunta que é possível uma pessoa não ser gananciosa e gostar de estar rodeadas de coisas simples. Ninguém parou para pensar que cada pessoa que vai numa direção contrária ao que o padrão do mundo estabelece muitas vezes é responsável por coisas inimagináveis incríveis como diversas criações, ou até mesmo livros escritos? O mundo é muito mais que bonecas de porcelanas desfilando numa Times Square com sua maletinha e roupa de marca indo para o seu trabalho “perfeito” sem perceber o quão escrava ela mesma se fez da massa. O mundo é muito mais do que um executivo com seu terninho caro ostentando coisas que jamais terá tempo de usar.
Você nunca se perguntou mesmo se por traz de cada sorriso ou produto ostentado no Instagram eles realmente são felizes? Se não , só lamento. Porque eu já.
Quem vai contra o sistema, sempre será julgado por ele! Então siga sendo você e o mais importante, sendo feliz... Pois, felicidade é uma coisa rara hoje em dia de se encontrar.


28 maio, 2018

O Reino de Deus transpassa o impensável!



Como 2 Coríntios 4:7 diz: "Mas temos esse tesouro em vasos de barro, para mostrar que este poder que a tudo excede provém de Deus, e não de nós."

Deus sai a procura de pessoas comuns, pessoas como você e eu, para capacitá-las. Deus não chama os qualificados; Ele qualifica os chamados.
Então não desanime se você estiver se sentindo um peixe fora d'água, num mundo onde todos aparentemente estão "com tudo". A bíblia diz que Jesus escolheu para ser seus discípulos pessoas comuns, pecadores, errantes. Na bíblia a personalidade de cada um é descrita, tanto para o mal quanto para o bem. Jesus nunca quis nos iludir em nos tornar super heróis ou heroínas. Ele quis mostrar que Ele é capaz, com nossa permissão, de nos lapidar e nos tornar muito mais que vencedores.
Vocês podem estar pensando, mas Ele só estava falando do lado espiritual!
Não! Jesus quando vem transformar uma vida, ele a transforma em todos as áreas. Mas isso vai depender do quanto você é fiel para com Ele.
Seus discípulos eram cabeças duras, muitas vezes ignorantes, e quando você observa como eles ficaram após a ressurreição de Cristo é impactante. Não só os frutos espirituais foram crescendo neles como tudo o que é bom e favorável ao crescimento de um ser humano também. A ignorância sumiu, veio com a transformação muita sabedoria. E com a sabedoria, a fé, e com a fé a concretização das coisas que eles criam.

O problema do ser humano está justamente em colocar a fé onde muitas vezes não é tão necessário. É como gastar um dinheiro com algo supérfluo, sem muito valor, só para acrescentar o ego alguns segundos de satisfação. Muitas vezes a sabedoria que recebemos de Deus com o tempo também é desviada para coisas que não acrescenta em nada em nossa evolução como seres humanos, que apenas nos dá a ligeira impressão de que estamos, digamos assim, abafando.

A evolução do ser humano não está em ajuntar bens materiais, em buscar eles para mostrar ao próximo o quão bem na vida ele se deu. Não está nas ostentações exacerbadas que eles fazem para assumir um lugar pela qual eles pensam ter o controle do sucesso e ser o sucesso.
A vida aqui na Terra está muito deturpada em questão de valores. Eles foram completamente invertidos. O SER que Jesus nos ensinou a lapidar e melhorar virou o TER que aquele pobre homem rico era e perdeu a chance de andar lado a lado com o Mestre quando ele se recusou a abrir mão de toda a sua fortuna. Ele não era o que era, ele era o que tinha; ele mesmo nos deixou isso claro. Veja Lucas 18:18-23.
Ah, mas Deus não iria querer que saíssemos por aí dando tudo que temos e ficando sem nada, vivendo na pobreza, Deus é Deus de prosperidade tamb
ém!
Sim, mas o fato de Jesus ter mandado aquele homem dar tudo o que tinha aos pobres e segui-lo é simplesmente uma mensagem curta e simples: quando ele veio até ao Mestre, ele perguntou o que poderia fazer para entrar no Reino dos Céus e Jesus disse que apenas mantendo os mandamentos em seu coração seria possível. Mas, ele, vaidoso, respondeu que já aplicava em sua vida todos os mandamentos, sentindo-se o melhor ser humano do mundo por isso - aquele homem não estava acostumado a receber nãos, tudo na vida ele possuía, inclusive a soberba que veio junto ao seu poder material - mas Jesus sabia disso, então lhe ofereceu algo novo, algo que ele não tinha, a humildade. Ele jamais conseguiria ser feliz tendo uma vida simples e negou o pedido do Mestre, preferindo as riquezas. Só não sabia ele que o verdadeiro tesouro está nos aguardando no Céu, e muita gente escolhe o caminho do homem rico por não conseguir compreender a profundidade que a promessa de Deus tem em nossas vidas. Fico imaginando as pessoas acharem que tudo é mera forma de falar, como metáforas, ou mesmo que só aqui, na vida física é possível possuir algum bem.

Queria deixar bem claro que prosperidade não é somente sinônimo de riquezas, ela também pode significar ter paz de espírito, graça, benção, saúde e diversas outras coisas.

O Reino de Deus transpassa o impensável! Ele começa a reinar aqui na Terra, dentro do coração de quem escolheu estar do lado de Jesus, nos modifica, nos aperfeiçoa, e nos prepara para a vinda do Rei e de Seu Reino. Ele começa o reinado dentro de nós aqui, e nunca termina na Glória, porque o Seu Reino é Eterno e todas as promessas que temos de Deus também. É algo indiscutível! Pois é algo inimaginável às mentes (limitadas) humanas. O que está no Reino de Deus é algo inefável, indescritível, porém, podemos afirmar que é milhões de vezes melhor referentes às coisas terrestres.

Então não perturbe seu coração quando pensares que não tem valor algum, não perturbe seu coração quando perceber a velocidade do tempo passar diante de você e se sentir aparentemente inútil. Você está sendo lapidado para algo maior aqui na Terra, e é preciso crer nisso para que as bênçãos de Deus corram atrás de você. 
É importante ter em mente que o tempo de Deus não é o mesmo que o nosso. E que não podemos deixar o desespero de nossas almas ultrapassar a vontade do Criador. Muitas vezes, por sermos impacientes e ansiosos, começamos a agir com a nossa vontade e no final a gente percebe que só anulou o poder de Deus sobre nossas vidas.
Então, pare, respire, valorize-se! Porque Deus chama todos nós, mas somente é escolhido aquele que atende o seu chamado. 

"Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará. 
E ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu direito como o meio-dia. 
Descansa no Senhor, e espera nele; não te enfades por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa maus desígnios." - Salmos 37: 5-7



24 maio, 2018

Emily Brontë - autora favorita



Conhecer minha escritora favorita - Emily Brontë -  através dos diários de sua irmã Charlotte, foi uma das melhores experiências que já vivi como pesquisadora literária.
A mulher cuja obra foi somente um romance - O Morro dos Ventos Uivantes - que arrancou suspiros de muitos admiradores de sua audaciosa e poética forma de escrita, tirando seus poemas avulsos, que com o tempo historiadores nos presenteou reunindo-os em livros.
E que morreu tão jovem, destruindo seu segundo livro não publicado, nos deixando órfãos, porque se sentia incapaz. Porque achava que sua obra não agradaria a ninguém - sua irmã Charlotte, que também era escritora e conhecedora da literatura, tentou impedi-la de cometer tal atrocidade, mas já era tarde demais.
Ora, se em seu primeiro e "único" livro, sua narrativa foi conhecida mundialmente pelo seu talento de estrutura incomum e ausência de digressões, fico imaginando como seria o tal livro destruído por ela.
Emily era literalmente única. Uma das pessoas que se eu pudesse, faria de tudo para conhecer pessoalmente.

Ninguém entende, mesmo achando maravilhoso seu livro, porque essa escritora foi a ganhadora do meu coração.
Primeiramente, antes mesmo de eu estudar sua história, quando resolvi ler seu livro - "O Morro dos Ventos Uivantes", um clássico da literatura inglesa, nunca imaginei que me envolveria tanto com uma história que foi narrada a séculos antes de eu nascer. Vejo muito facilmente pessoas se apaixonarem por autores de sua época, e isso não é ruim; porém é muito mais raros ver jovens apaixonados por autores clássicos.

Além da Emily, eu curto muito Jane Austin, Goethe, Shakespeare, Lord Byron, Álvares de Azevedo e Machado de Assis.

Mas só ela me encantou de tal maneira a me fazer estudar mais sobre sua vida!

Emily Brontë nasceu em 30 de junho de 1818, perdeu duas irmãzinhas e sua mãe muito cedo, ela era a mais introvertida da família, o que me chamou muito a atenção, sua própria vida, junto com a de suas irmãs daria uma bela história de muita reviravoltas, lutas e triunfos, altos e baixos o tempo todo sendo vivenciado por elas.
O passado sempre me atraiu demais, porque o simples me atrai. E quando mergulhamos nossa imaginação para gerações passadas observamos o quanto o simples de hoje em dia era tão vital e de valor inestimável naquela época. Principalmente para quem era mulher e por não poder trabalhar, necessitava buscar por fora de seus afazeres, prazeres que hoje consideramos pequenos.
Isso só prova que nós é quem temos o poder de dar valor as coisas, se você valoriza algo por tendência e não por amor, está na hora de meditar um pouco mais sobre sua interferência no mundo.
A sua história de vida, junto com a de suas irmãs me fascinam demasiadamente. Emily resfriou-se, no dia 19 de dezembro de 1848, muito pálida, desceu para cuidar dos afazeres na cozinha. Ao meio dia pediu um médico; às 2 da tarde, agonizava. Em um intervalo de três meses, seu irmão e ela morreram inesperadamente. Logo depois, em maio do ano seguinte Anne também não resistiu, restando somente a irmã mais velha, vivendo somente mais 6 anos, no entanto, concluindo seus projetos literários.

Daria para escrever um livro contando sua história junto ao meu ponto de vista, mas infelizmente aqui só cabe uma postagem.

Abaixo deixarei um trecho do diário de Charlotte Brontë, descrevendo um pouco sua irmã Emily:

"Emily era dois anos mais jovem do que eu e a mais alta da família, fora o papai. Possuía uma personalidade complexa, com dois lados alternadamente discordantes como parte de sua natureza: um, taciturno, de introspecção melancólica sobre o significado de vida e morte; e o outro, uma satisfação alegre de contemplação das muitas alegrias e belezas naturais do mundo. Contanto que pudesse ficar em casa, cercada pelo brejo, Emily era feliz e vivia descontraidamente; diferente de mim, raramente angustiava-se. Ela preferia perder-se em seus pensamentos ou nas páginas de um livro a realizar  qualquer outra atividade na vida - uma preferência com a qual eu estava totalmente de acordo. Emily não tinha nenhuma consideração pela opinião publica ou interesse pela moda; embora havia muito o estilo da época já tivesse se modernizado para vestidos habilmente acinturados  e ajustados e anáguas de corpo inteiro, Emily tinha preferências pelos vestidos antiquados e sem cortes e por anáguas estreitas penduradas nas pernas, que particularmente não caia bem na sua figura esguia. Como raramente se aventurava para fora de casa, a não ser para caminhar pelo charco, isso quase não tinha importância.
Seu físico delgado, a pele pálida e o cabelo escuro em um coque preso descuidadamente por um pente espanhol, Emily lembrava-me uma robusta muda de árvore: fina e graciosa, porém inflexível; resistente em uma solidão; imune aos efeitos do vento e da chuva. Na presença de estranhos, recolhia-se em si, pura seriedade e silêncio; mas na companhia da família, sua natureza sensível e efusiva encontravam sua expressão mais perfeita."

- Referência do texto tirado do livro "Os diários de Charlotte Brontë de Syrie James.


18 maio, 2018

Não quero passar pela vida, quero vivê-la.



Lembro da minha tranquila adolescência, em que a maior parte do tempo era sem nenhuma preocupação comparado ao agora, a não ser de estudar e tirar notas boas. De me preparar para a faculdade e etc... Não existia todas essas infinitas redes sociais, não existia todo esse turbilhão de informações que recebemos por dia. A coisa era mais calma, serena...
Hoje, o tempo parece que mudou, estou sempre com a sensação de que estou correndo e correndo, mas a linha de chegada parece cada vez mais longe. Sinto-me cansada, saudosa da simplicidade que carrega meu passado. Não importa o quanto eu trabalhe, estude, tenha um hobbie, nunca parece o suficiente diante do que o ser humano é capaz de conquistar.
Sim, todo mundo cai um dia nessa onda de se comparar. E muitas vezes a comparação é muito injusta, porque tudo o que é postado nessas redes, são filtrados mil vezes antes. Muitas vezes, filtrados com meras mentirinhas sociais. Dessas que as pessoas passam a ter o hábito para se sentir aceito na rodinha dos amigos.
Nós nos esquecemos de nos lembrar dessa façanha que vivemos. Esquecemos de conversar conosco mais vezes, de colocar na cachola que a vida real é muito diferente da invenção que colocaram dentro de um dispositivo móvel e inteligente.
Que aqui, em terras firmes, existem desafios diários conquistados pela força de quem é humano, de quem é de carne e osso. Que todos nós na verdade somos vítimas de nossas próprias vontades fantasiosas. E que ninguém tem culpa no meio disso tudo.

Já não acordamos mais para apreciar a vista tomando um café gostoso, já não olhamos tanto para o céu, já não agradecemos mais como antes. Não olhamos nos olhos de quem amamos, e nem ouvimos direito o que o outro tem a dizer. Só queremos ser vistos, ser ouvidos, nós, nós... E só resta essa luta pelo nosso ego completamente distorcido.

Eu cansei, cansei fisicamente e emocionalmente. Faz tempo que reduzi meu tempo nessas redes, faz tempo que fico sem querer saber o que meus amigos andam postando o tempo todo. Faz tempo que não faço algo por pressão, faz tempo que desisti de disputar, mesmo que indiretamente. Faz tempo que não conto mais as horas, faz tempo que não me culpo por estar envelhecendo sem conquistar o mundo. Faz tempo...

Eu quero a calmaria de todas as manhãs, sendo feliz com as coisas simples, amando-me do jeito que sou. Quero correr atrás dos meus sonhos sem que o mundo lá fora interaja aqui dentro. Não quero saber mais de todas as noticias do mundo. Se eu quiser saber vou procurar sem pressão, mas se não estiver a fim, tenho certeza que continuarei vivendo e acredito que até melhor.

Não quero passar pela vida, quero vivê-la.
Não somos obrigados a ser tudo o que dizem que devemos ser. Nunca nada será suficiente para o mundo, porque ele está doente, precisa preencher constantemente sua alma vazia.
Eu decidi escolher preencher minha alma com Deus e com a arte que Ele me deu. Sem pressa, serena, e abraçando as oportunidades que me vier sem que elas queiram roubar de mim o que mais prezo, minha alma.


17 maio, 2018

Princesa ou Heroína



Qual seria a maior referência para sua filha, sobrinha ou neta? Incentivar mais que ela imagine ser uma princesa ou uma heroína?
Eu li um texto da escritora Sabrina Abreu mostrando o quão mais legal e com certeza mais favorável ao desenvolvimento da menina isso faria bem, se no lugar de uma princesa, ela brincasse de ser heroína. Isso iria com certeza fazê-la crescer bem mais preparada em lutar por seus sonhos do que simplesmente esperar pelo outro (o príncipe) para agir por ela. E em partes eu concordo sim, acho que ser heroína é muito mais legal do que princesa, mas ser legal não significa que isso se aplique em fatos na nossa verdadeira realidade.

É obvio que a princesa sofre mais, sofre a vida inteira, fica trancafiada em uma torre, ou é explorada pela madrasta, precisa abandonar o castelo para salvar sua vida, e só quando o príncipe que é totalmente coadjuvante na história, aparece para salvá-la do mundo e de todo mal, que elas começam a serem felizes. Já as heroínas não, elas não sofrem, porque revidam, lutam contra um sistema, fazem seu próprio destino.

No entanto, a princesa mostra uma coisa que a heroína não mostra, resiliência. A princesa luta sim, sem poderes, sem forças, ela tenta se salvar de todas as formas. O príncipe só a encontra porque ela percorreu metade do caminho sozinha. Isso ninguém conta.
A heroína não, ela é forte e possui poderes, luta com facilidade e já tem um destino traçado, salvar a humanidade. Ela pode perder a batalha, mas sempre vence a guerra.

Eu não sei se vocês perceberam, mas, nem sempre queremos ou devemos comprar uma luta tão difícil ou quase impossível para salvar o mundo. Salvar o mundo pode vir de pequenas atitudes honestas que fazemos aqui e agora, sem teorias, sem palavras bonitas, colocando a mão na massa naquilo que você pode fazer, sendo humana.

Ser princesa jamais será sinônimo de fraqueza, mas sim de humanidade na minha concepção. O ser humano sofre sim, quem vive a vida fingindo ser feliz o tempo todo é falso e fraco, porque não tem forças para mostrar sua humanidade, quer viver no "faz de conta" a qualquer custo por medo de ser visto como fraco, sendo que isso já é sua maior característica.
Ser heroína jamais será algo relacionado a vida real, a princesa que chora sim, porque ela luta com as forças que possui e não poderes. Mesmo tendo intervenções de magias no meio dos desenhos, a diferença entre os poderes são muito altas.

Ontem, jogando jogos e observando alguns animes, percebi o quanto ser heroína para uma criança pode parecer perigoso também, ou vocês não conseguem imaginar as cenas de violência que uma criança pode querer imitar? Cenas das quais heroínas lutam, mas que para mim servem muito mais como um estimulo aos adultos do que crianças.

Sei muito bem, que muitos tratam este assunto relacionando o comportamento da princesa ou heroína, mas estou aqui para dizer que uma criança jamais conseguirá distinguir estas coisas. Então se você é adulto e prefere se espelhar em um herói ou heroína, isso muda totalmente o sentido das coisas, porque você sabe o limite entre a verdade e a fantasia.

Isso não é questão de quem se dar mais bem do que mal, quem é melhor ou pior. É questão de trazer a fantasia para realidade, ainda mais quando se trata de crianças inocentes que não tem noção das consequências que há nesses desenhos. E sim, eu não sou a favor de nenhuma das opções, mas não pode trancar a criança dentro de casa, impedi-la de ter contato exterior.

A questão vai muito além das meninas, afinal, os meninos crescem fingindo ser super heróis. A questão está no equilíbrio que essas coisas entram em nossas vidas, é necessário ensinar os pontos fortes e fracos de cada um dos lados, para ambos os gêneros. É olhar além para essas influências que entram em nossas casas e moldam o caráter de nossas crianças.

Eu acho possível tirar proveito de tudo e reter somente o que é bom quando os pais e familiares são presentes. Ensinar seu filho que ele é humano, que ele erra, e que não vai salvar o mundo dando socos por ai, e muito menos ser feliz somente quando o príncipe encantado chega.

Tudo nessa vida precisa de equilíbrio!

11 março, 2018

Florescer: Bálsamo para a Alma




Introdução do livro:

"A vida é aparentemente uma simples e terna passagem aqui na Terra. Há muitos que cruzam os braços e assistem ela passar diante de teus olhos, como um passatempo; sem questionar toda a existência, sem contemplar toda a beleza, sem analisar todo o renascimento que todas as coisas vivas passam, devido a inúmeros processos. Toda a magnificência de cada molécula que constrói junto a vários outros elementos tudo o que nos rodeia e também tudo o que somos e seremos. Pobres pessoas que seguem adiante sem entender a intensidade e a essência da eternidade que nasceu com elas e junto delas. Por muitas vezes parecer difícil refletir, a vida se minimiza de tal forma para essas pessoas, em meio ao seu torpor violento, entretido e afogado em seus problemas, tornam-nas cegas demais para ter discernimento de que a vida é algo totalmente indescritível e sagrado. Que envolta de sua natureza, existe tantas coisas completamente majestosas ao olhar; povos que se quisessem, arrancariam de seus olhos essas vendas que os impedem de ver a plenitude que lhe foi entregue como um presente. Todos esses jogos de interesses, superficialidades, concorrências, buscas frenéticas pelo poder iriam de fato se resumir a nada diante da verdadeira visão que se carrega nos corações que descobriram na vida, o seu real significado, seu sentido sagrado e completamente incomparável. A vida é o sopro de Deus que corre dentro de todos os seres viventes, consciente ou não, Ele vive, aqui, ali, por todos os lados através de tudo o que tem vida. Porque Ele é a vida. No entanto, ainda há tempo para aqueles que escolheram enxergar a verdade e se libertar definitivamente deste mundo hipnotizador, que nos cerca com vitrines ilusórias, a fim de nos fazer perder tempo, até que o mesmo acabe e nós nos tornaremos apenas o pó da terra, sem nenhuma história, sem nenhuma jornada, propósito ou mesmo luta a favor Daquele que está sempre disposto a nos perdoar e redimir. Desejo que em “Florescer – Bálsamo para a alma”, vocês possam observar que ainda há tempo para ser livre e viver uma nova vida, com os olhos bem abertos, cobertos da sabedoria divina."

Clique aqui para comprar o seu!

10 março, 2018

Nosso Próprio Tempo





“Tudo é vário. Temporário. Efêmero.”
Chico Buarque.  



Hoje eu estou na onda de reler textos antigos meus. Porque faz tempo que não posto um novo aqui no blog.
Mas isso não me deixa mal. A gente precisa aprender a respeitar nosso tempo. 
Eu tinha uma colega que precisava escrever um texto novo todo dia. Caso contrário, na cabeça dela, seus leitores iriam abandona-la.
Sua escrita que era para ser algo gostoso de ser feito, se tornou um fardo. 
Ela com o tempo começou a escrever textos de péssimas qualidades porque ansiava por quantidade. 
"- Eu preciso terminar logo este livro, para começar outro."
"- Eu preciso escrever um novo texto para minha  página ou blog não ficar desatualizado e perder visibilidade."

Ela se tornou escrava do seu próprio dom, em busca de likes, seguidores, leitores... Enfim...
Eu só acho que no mundo de hoje, as pessoas andam escrevendo muito para se auto-afirmar. Para se manter em evidência. Para ganhar likes e muitos elogios.
Não tem mais aquela essência de pegar num papel, sim papel de verdade, tomar um café e rabiscar ideias ainda sem saber o que vai fazer com elas. 
Não existe mais a desconexão da vida virtual, para ir lá na vida real buscar algo que você anseia dividir pro mundo, mas não porque você está atrás de seguidores, mas de pessoas com almas tocadas por palavras que nos mergulham em uma grande catarse emocional. Trazendo-nos o sentido da poesia, do romance, do conto... Da vida!

Se a vida imita a arte - eu não tenho dúvidas! Há muita arte sem alma, está aí para provar a vida sem sentidos que muitos estão vivendo. 
A qualidade das coisas vem se diminuindo gradativamente... E isso é reflexo do que vivemos e permitimos ser influenciados. 
Ser bom hoje em dia não é o bastante. Aquela coisa de vazio que o ser humano tem em buscar coisas supérfluas, agora também está na arte... Na ânsia de buscar pessoas e não tocá-las. Estamos literalmente trocando a qualidade pela quantidade. E isso é muito triste. 
Não tem nada mais lindo na vida que você parar para olhar ao seu redor, observar o mundo e criar novas coisas a partir das verdadeiras e lindas emoções que afloram em seu peito.
Levar algo para o mundo sem intenção de receber nada em troca, levar literalmente por amor. Contribuir com sua parcela de valor para o mundo e receber seu reconhecimento em meio a gratidão das pessoas... e que todo sucesso seja consequência desse amor inexplicável pelo que se é escrito, pelo que se é vivido.

21 novembro, 2017

Mayara



Eu cresci num lixão com minha mãe e meu irmão, passávamos o dia todo com fome, não existia comida descente que um dia sequer comecemos. Além de trabalhar muito tentando catar coisas para dar algum dinheiro a mais, não íamos a escola.
Era uma vida miserável, parecia que eramos esquecidos por Deus. Até que uma família requintada visitou nosso barraco, e segundo eles, gostariam de adotar crianças que moravam em estados deploráveis como a gente, mas eles não podiam adotar duas crianças, somente uma, e eu fui a escolhida. No começo eu chorei muito, não queria ficar longe das pessoas que eu amava, mas com o tempo fui me acostumando a ideia. Talvez essa seria a única chance que eu poderia ter na vida de poder crescer como ser humano e voltar para ajudar minha mãe e meu irmão.
Depois de toda papelada assinada por minha mãe e pelos meus pais adotivos, pude finalmente ir para o meu novo lar.
Era uma casa imensa, linda, eu tinha um quarto só meu e podia finalmente agora ir para escola e sem precisar trabalhar. Meus novos pais eram os melhores do mundo, sempre deixava eu visitar minha família.
Com 9 anos de idade ganhei uma festa só minha, com todos meus novos amigos comemorando comigo. Minha nova vida era um sonho, até que recebi um dia depois a notícia da morte de minha mãe verdadeira, fiquei devastada. Tentei visitar meu irmão, mas ele já tinha sido levado pelo conselho tutelar.
Eu fui seguindo meus dias e meses triste, não conseguia achar meu irmão, e eu precisava da família nova que me adotou para tudo, afinal, eu era só uma criança. 
Passou um tempo, já estava no ensino fundamental, tinha completado 11 anos de idade, e muitas pessoas achavam que eu tinha na verdade 13 anos, devido meu crescimento rápido.
Aos doze anos eu me formei como mulher, minha primeira menstruação desceu num dia em que estava todo mundo em casa, num domingo ensolarado, comendo churrasco.
Lembro que foi uma vergonha, pois estava na piscina, e de repente todo aquele sangue começou a subir e eu entrei em pânico.
Minha mãe adotiva, que por sinal se chama Selena, me levou para o quarto e conversou comigo sobre tudo o que ela tinha que conversar, confesso que foi um alivio.
Fui seguindo minha rotina normal, até que fui percebendo que meu pai adotivo, chamado Vitor, começou a mudar comigo, ele se afastava, não conseguia me encarar direito, não conseguia dividir o mesmo cômodo mais sozinho comigo.

Até que finalmente a bomba caiu sobre mim, em uma noite qualquer e quente, pude sentir alguém entrando em meu quarto, sentando sobre minha cama, e parado ali, começou a me observar. Eu sabia que se tratava de Vitor, porque sentia sua respiração funda perto de minha pele, e seu cheiro de cerveja logo o entregava.
Eu senti medo e fingi estar dormindo na esperança que ele fosse embora dali; mas ao observar meu sono, ele começou a passar suas mãos horrendas sobre meu corpo, e me apalpar toda. Eu não sabia o que fazer, se gritava ou continuava parada. Ficava pensando na Selena. No quanto ela era boa para mim, e do quanto seria uma grande decepção para ela saber daquilo. Talvez fosse a bebida, falei a mim mesma, enganando-me de que aquilo não se repetiria novamente. Mas o inferno estava apenas começando, dos toques passaram a ser beijos molhados e nojentos, dos beijos começaram as relações sexuais violentas, e de repente eu era o seu brinquedo a base de ameaças. Principalmente ameaças contra quem mais amava, Selena.
O incrível é que ela era tão boa e boba, nunca notou nada, mesmo quando minhas notas começaram a despencar tão de repente e eu ser diagnostica com síndrome do pânico junto a uma maldita depressão severa.

Eles me levaram a todos os tipos de médicos e me fizeram fazer todos os tipos de tratamento. Mas é lógico que eu não iria melhorar enquanto continuasse vivendo nesta casa.
Foi quando fiz 15 anos que decidi fugir de casa.
Voltei à estaca zero da minha vida, encontrei o barraco de minha mãe abandonado e comecei a dormir lá, de dia eu catava lixo como ela, e de noite eu passava chorando e tendo pesadelos com os abusos que sofria.

Fiquei vivendo assim por 3 anos da minha vida, precisava me mudar constantemente para que eles não me achassem.
Quando completei 18 anos, vi em um jornal que eles estavam aceitando faxineiras num prédio de jornalismo muito lindo. E consegui o trabalho. Enquanto limpava, ficava sonhando em ser uma jornalista como todas aquelas mulheres lindas e bem arrumadas que passavam sobre mim. Mesmo passando por tanto preconceito e indiferença, eu não me dava por vencida. Matriculei-me numa escola e recomecei a estudar, aos 25 anos de idade eu já havia terminado o ensino médio e finalmente poderia entrar para a faculdade de jornalismo.
Lembro-me da primeira vez que retornei para aquele prédio chique como estagiária.
Não foi fácil, eles ainda sabiam que eu era a antiga faxineira e me tratavam como tal, mas eu não me entregava, se eu havia chego até ali, eu teria de ir até o fim.
Se eu tive momentos em que queria desistir de tudo?
E como! Só Deus sabe o quanto, mas hoje eu estudo jornalismo e moro em uma pequena casa alugada, que é minha. Nunca mais vi o Vitor e muito menos Selena.
Mas um dia eu voltarei e colocarei todos os panos na mesa... Só estou esperando minha oportunidade chegar para que eu faça justiça.



10 novembro, 2017

O Poder das Palavras



Eu tive e convivi com diversos exemplos acerca do poder que carrega as nossas palavras. E tenho certeza de que você também já ouviu falar. Mas eu venho aqui para dizer que tudo isso não é só histórias que o povo conta ou mesmo algum tipo de superstição.
De fato, a palavra tem poder, tudo que sai do coração do homem de forma negativa ou positiva acaba atraindo as mesmas.
Quem nunca ouviu falar de uma pessoa que vive resmungando e com isso a vida dela em nada melhora? Só atrai coisas ruins. 
Eu aprendi sobre isso mais ainda ontem, depois de uma maravilhosa pregação que assisti, e sendo crente, mas do que nunca fiquei tão chocada com a quantidade de assuntos na bíblia fala sobre isso. E sabemos muito bem que a bíblia dá grandes origens a ditados populares completamente sábios como "A boca fala o que está cheio o coração".
A bíblia também diz que nossa língua serve tanto para a salvação quanto para a perdição.
Satanás foi o único anjo querubim a ser ungido por Deus, ele sabe que um ungido não pode ser atingindo pelo que vem de fora, então ele tenta te convencer de seus pensamentos negativos para que tu mesmo te condenes.
Cuidado com o que falas, se teu coração deseja falar coisas desagradáveis, cala-te, antes que o sentimento vire fruto.
Assim também é com as coisas positivas, mas muito além de pensamentos positivos que atraem coisas positivas, é dar poder a ela com o que se diz com fé o que deseja seu coração. Bendiz a tua vida sempre, mesmo quando não parecer fácil, tenho certeza que o resultado dessas coisas virão a cada dia.
Não anule suas orações com palavras de derrota, não deixa de perder sua benção por isso.
Deus criou os Céus e a Terra somente com o poder da palavra, somos semelhantes a Ele e fomos criados para a obedecer sua palavra. Que não venhamos perecer por falta de conhecimento, leiam mais a bíblia e pratiquem a palavra de fé em suas vidas.

Cliquem aqui para assistir a maravilhosa pregação que reforçou ainda mais minha fé neste assunto.